quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Escova Progressiva: Cuidado com o Formol!

Cada vez mais popular entre as mulheres, a escova progressiva promete cabelos lisos às consumidoras que lotam os salões de beleza em busca deste serviço. Mas tão importante quanto decidir o penteado, escolha com cuidado o estabelecimento prestador de serviço. Além de pesquisar bem os valores cobrados, evite fazer escova progressiva, ou qualquer outro serviço similar (cauterização, selagem etc.), em salões que utilizam formol.

A utilização de formol em alisamentos capilares é proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que inclusive em  2009, publicou a Resolução nº 36, que proíbe a comercialização do formol em estabelecimentos como drogarias, farmácias, supermercados, empórios, lojas de conveniências e drugstores. A finalidade dessa Resolução é restringir o acesso da população ao formol, coibindo o desvio de seu uso como alisante capilar, protegendo a saúde de profissionais cabeleireiros e consumidores.

 A Anvisa adverte que o máximo dessa substância permitido em cosméticos é de 0,2% (Resolução 162/01), como conservante ou 5% (Resolução 79/2000), como agente endurecedor de unhas. Não podendo ser adicionado após a fabricação desses produtos.

O risco dessa substância, utilizada indevidamente, ocorre com a inalação dos gases e contato com a pele e se agrava quanto maior for à freqüência do uso ou concentração do produto. Assim, apresenta perigo também aos profissionais que o aplicam, podendo, inclusive, contaminar o ambiente onde está sendo utilizado, porque parte do formol transforma-se em vapor, sendo potencializado com o calor do secador e de outros aparelhos.

As principais reações ao formal são:

- em contato com a pele – causa irritação com vermelhidão, dor e queimaduras;

- em contato com os olhos – causa irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão embaçada. Algumas concentrações causam danos irreversíveis;

- quando inalado – pode causar dano, irritação e sensibilidade no aparelho respiratório, como dor de garganta, irritação no nariz, tosse, diminuição da freqüência respiratória, levando ao edema pulmonar e pneumonia. É fatal em altas concentrações;

- com exposição crônica – a freqüente e prolongada exposição pode causar hipersensibilidade e dermatites (inflamação da pele).

O contato repetido ou prolongado pode causar reação alérgica, comprometimento da visão e dilatação do fígado. No caso da escova progressiva, dependendo da concentração do formol, poderá ocorrer queda do cabelo.

No uso de qualquer alisante, fique sempre alerta ao mais leve sinal de irritação procurando imediatamente um médico que poderá indicar-lhe os procedimentos que você deverá adotar.

Portanto, não pense apenas na beleza dos seus cabelos, preserve sua saúde!

Outras dicas para quem frequenta salões de beleza:

- Além do preço, antes de escolher o estabelecimento, busque referência com conhecidos, pode ajudar antes de optar por determinado salão;

- Ao escolher o salão, verifique as condições de higiene do local;

- Ao realizar serviços de manicure e pedicuro, prefira levar seus próprios equipamentos (alicate, cortador de unhas, lixa, etc.). Dê preferência a locais onde os profissionais usam luvas. Caso opte por usar os equipamentos do salão, certifique-se que estejam todos esterilizados.

Atenção! Quando o estabelecimento não utiliza equipamentos devidamente esterilizados ou descartáveis, você corre o risco de contrair micoses, infecções e doenças como Hepatite B e C.

Saiba que: Os materiais metálicos, como alicate, por exemplo, são esterilizados através de equipamentos específicos para este fim, estufas, por exemplo. Portanto, aquela passadinha de algodão com acetona que muitas manicures fazem antes de atender o próximo cliente não elimina os riscos de contaminação.

Denúncias

O consumidor que encontrar irregularidade poderá entrar em contato com os seguintes órgãos:

- Covisa (Coordenação de Vigilância Sanitária) do Município de São Paulo - de segunda à sexta-feira, das 09h00 às 16h00, pelos telefones 3397-8278, 3397-8279 e 3397-8280, ou ainda, através do e-mail smssaccovisa@prefeitura.sp.gov.br.

- Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), através do Disque Saúde (0800 61 1997), ou do Fale Conosco no site www.anvisa.gov.br.

O consumidor também pode entrar em contato com os canais de atendimento do Procon-SP . Se você mora fora da Capital, encontre o telefone e o endereço de um órgão de defesa do consumidor conveniado à Fundação Procon-SP aqui.

Saiba Mais: Veja as dicas para tratamentos em clinicas de estética aqui.