terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Procon denuncia 29 sites ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania

O Procon-SP denunciou ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) 29 sites reclamados por consumidores por irregularidades na prática de comércio virtual. O objetivo da medida é que os fornecedores, que não entregaram produtos adquiridos por consumidores, também sejam responsabilizados criminalmente. 

Boa parte desses sites não foram encontrados em seus endereços oficiais. As notificações encaminhadas a essas empresas têm retornado com informações dos Correios, tais como, "mudou-se" e "endereço inexistente".

Segundo o diretor executivo em exercício do Procon-SP, Carlos Coscarelli, as empresas são procuradas pelo órgão para solucionar os casos e não são encontradas. “Tentamos contato, inclusive por correspondência, e não obtivemos retorno. Alguns ainda estão no ar oferecendo produtos e podem continuar lesando consumidores desavisados”.

Veja aqui para visualizar o nome das empresas, com destaque para aquelas cujos sites permanecem no ar.

Dicas aos consumidores

Clique aqui e confira as dicas do Procon-SP para evitar problemas nas compras pela internet.

Em caso de dúvidas ou problemas,  o consumidor pode entrar em contato com um dos canais de atendimento do Procon-SPNa Grande São Paulo e interior,  procure o órgão municipal de defesa do consumidor.

O Procon-SP também realiza atendimento nos postos dos Centros de Integração da Cidadania (CIC) Norte, Leste, Oeste, São Luiz, Imigrantes e Feitiço da Vila. Veja os endereços aqui.