quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Crédito fácil e sem orientação do governo cria superdívidas, diz Procon

Do Portal Uol

As políticas do governo de incentivo ao consumo, baseadas na redução de impostos e na pressão pela queda dos juros, são importantes para estimular a economia, mas também têm levado à criação de consumidores superendividados, diz a assessora-executiva do Procon -SP,  Vera Remedi.

Desde o começo de outubro, ela coordena o Programa de Apoio ao Superendividado do Procon-SP.

Em pouco mais de um mês de funcionamento, o serviço já atendeu 163 pessoas com o problema. Segundo o balanço inicial, 42,7% das pessoas que foram diagnosticadas como superendividadas ganham até R$ 1.000 por mês.

"Existe uma falta de orientação, por parte do governo, sobre os cuidados que as pessoas devem ter ao assumir crédito de longo prazo", diz Vera Remedi.

Mas não é só o governo que ela cobra. Os bancos também têm responsabilidade. As campanhas educativas feitas pelos bancos não têm sido suficientes para evitar o uso indevido do crédito, avalia.

Para ler a matéria completa e os principais trechos da entrevista que Vera Remedi concedeu ao Portal  UOL, clique aqui