quinta-feira, 4 de julho de 2013

Recalls mais claros e divulgação de campanhas nas redes sociais

Essa é a recomendação do Grupo de Estudos Permanentes de Acidentes de Consumo (Gepac) às empresas na divulgação de campanhas de recall. Os comunicados devem ser mais concisos, com menos termos técnicos e disponíveis em todos os meios de comunicação, o que inclui as redes sociais e sites.

No Rádio e na TV, a locução deve proporcionar o pleno entendimento de todas as informações. Em jornais, revistas e sites, o aviso deve ter destaque e fácil visualização. As empresas que mantém redes sociais (Facebook, Twitter etc.) deverão usar estes meios para veicular os chamamentos.


As orientações às empresas foram formalizadas na Recomendação nº 01/2013 do Gepac. O primeiro boletim periódico do grupo traz ainda um resumo dos recalls realizados em maio deste ano. Clique aqui para acessar o informe.

Criado em 2008, o Gepac, reúne diversos órgãos para definir e promover procedimentos e estratégias para coibir a venda de produtos ou a prestação de serviços nocivos ou perigosos além de prevenir e reprimir os acidentes de consumo. O grupo também discute medidas para proteger e preservar a saúde e a segurança do consumidor. 

Além da Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça) fazem parte do Gepac:  a Fundação Procon-SP, o Ministério Público Federal em São Paulo; o Ministério Público Estadual de São Paulo, o Instituto de Defesa do Consumidor – IDEC, a Associação Nacional do Ministério Público do Consumidor (MPCon), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor (Brasilcon), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – INMETRO, o Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN, entre outros órgãos.

Você sabe o que é recall?

Recall é a forma pela qual um fornecedor vem a público informar que seu produto ou serviço apresenta risco aos consumidores. Ao mesmo tempo, recolhe produtos, esclarece fatos e apresenta soluções. Confira o informativo sobre o tema aqui.

Fontes: Procon-SP e Ministério da Justiça