sexta-feira, 13 de junho de 2014

Guia orienta turistas com deficiência


Imagem: Divulgação
O Ministério do Turismo lançou na terça-feira o site “Guia Turismo Acessível”, ferramenta que permite ao turista, com deficiência ou não, cadastrar e avaliar restaurantes, estabelecimentos e atrações turísticas segundo seu nível de acessibilidade. A nova ferramenta eletrônica celebra os 15 anos do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), e já oferece ao internauta mais de 530 mil estabelecimentos para avaliação no país. O endereço do site é: www.turismoacessivel.gov.br.


- O objetivo é que a interação com o usuário construa um guia de referência para o turista com deficiência, mapeando os principais estabelecimentos de acordo com o grau de acessibilidade - disse o ministro do Turismo, Vinicius Lages. De acordo com ele, a ferramenta eletrônica também será uma vitrine para hotéis, restaurantes e demais prestadores de serviços turísticos que investem em ações inclusivas mobilizando, desta forma, todo o setor para a acessibilidade.


O guia traz informações sobre a existência de rampas em hotéis, de cardápios em braile em restaurantes e de banheiros adaptados em diversos estabelecimentos, entre outras informações essenciais. Totalmente adaptado, o site permite a navegação de pessoas com deficiência visual, auditiva, física/motora e intelectual e fornece ainda orientações sobre adequações necessárias junto aos estabelecimentos. Para avaliar as atrações já inseridas no site e cadastrar novos estabelecimentos, como restaurantes, bares, meios de hospedagens, shoppings, museus, atrativos históricos, parques, zoológicos, cinemas, serviços turísticos e atividades de lazer, o internauta precisa preencher um cadastro.


O guia traz, ainda, informações sobre os direitos da pessoa com deficiência e orientações para o setor turístico. Legislações, normas e cartilhas com dicas de como se adaptar e bem receber a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida estarão disponíveis para leitura e download. Para os próximos meses, já estão previstas novas interações, que vão permitir ao turista dar sua nota, realizar comentários e incluir fotos do estabelecimento ou atração avaliados.


O ministro do Turismo diz que a plataforma reúne o que há de mais moderno em ferramentas de avaliação, ajudando esse tipo de turista a planejar com antecedência e segurança suas viagens. Outro ponto positivo, segundo Lages, é que essas informações permitirão ao governo dar um retorno das demandas aos próprios empresários.


- A questão não se resume apenas a oferta de rampas, elevadores e banheiros adequados aos portadores de necessidades especiais. Ela também diz respeito à forma de acolhimento desse público. O Brasil tem feito um grande esforço nos últimos anos para ser um país mais inclusivo, e o setor de turismo pode ser um importante vetor nessa mudança. O guia se antecipa também à mudança demográfica prevista nas duas próximas décadas no país, quando a população de idosos terá crescimento expressivo - diz Lages. - O trabalho de adequação, mesmo com os investimentos necessários por parte das empresas, garante retorno, na medida em que o turista com necessidade especial quase nunca viaja sozinho.


O Brasil tem cerca de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência ou limitações, de acordo com o IBGE, todas com direito ao lazer e à diversão. O Ministério do Turismo apoia e investe no programa Turismo Acessível, resultado de uma parceria da pasta com a Embratur, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e o Conade. Lançado em novembro de 2012, o programa se constitui em um conjunto de ações que promovem a inclusão social e o acesso de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida à atividade turística com segurança e autonomia.