quinta-feira, 20 de julho de 2017

Anvisa suspende venda de lote de Lexotan

Imagem: Divulgação
Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou a suspensão do lote RJ0874 do medicamento Lexotan (bromazepam), comprimidos de 3mg, com validade até janeiro de 2019.

Segundo o comunicado da Roche, fabricante do produto, o lote de Lexotan em questão apresentou resultados abaixo da especificação prevista no ensaio de dissolução em estudos de estabilidade. Tais estudos analisam se as propriedades farmacêuticas de um determinado medicamento permanecem estáveis ao longo do prazo de validade.

A Anvisa classificou o problema como de baixo risco, que é a classe 3 prevista na Resolução RDC 55/2005 - indica uma situação na qual existe baixa probabilidade de que o uso ou exposição a um medicamento possa causar consequências adversas à saúde, ou seja, o risco ao paciente é baixo. "Mesmo assim, o lote interditado não deve ser utilizado", destaca a nota no site da Agência.

A medida foi publicada no Diário Oficial da União.

O consumidor que possuir o produto deve entrar em contato com o Serviço de Informações da Roche, telefone 0800 77 20 289, para saber como fazer a devolução do medicamento, troca do produto ou restituição do valor pago.

Fonte: Anvisa




quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ao comprar pela internet, evite esses sites

Imagem: Pixabay
 Comprar pela internet é rápido, fácil e às vezes mais barato. Mas por trás de toda comodidade pode ter uma armadilha. Para que o consumidor não caia numa cilada ao realizar as compras online, o Procon-SP divulgou uma lista atualizada de sites que devem ser evitados .

Fazem parte da lista empresas que possuem irregularidades na prática do comércio eletrônico, principalmente por falta de entrega do produtos adquiridos pelo consumidor. Esses fornecedores não são localizados, nem mesmo através de rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil, o que inviabiliza a solução do problema apresentado pelo consumidor.

Parte desses sites já foi retirada do ar. Ainda assim, na hora de comprar pela Internet, é fundamental checar informações sobre a loja, inclusive CNPJ, caso não seja uma página com referências, e canais de contato. Veja as dicas do Procon:

  • Desconfie de preços bem abaixo do mercado;
  • Evite usar computadores públicos para efetuar compras;
  • Escolha lojas recomendadas por amigos ou familiares;
  • Cheque se o site tem sistema de pagamento protegido.
Fontes: Procon-SP e Portal do Governo de São Paulo



segunda-feira, 17 de julho de 2017

Dicas para compras de roupas em brechós

Imagem: Pixabay
Comprar roupas em brechó é uma boa opção para quem quer economizar, afinal os preços normalmente são mais acessíveis. Mas é importante prestar atenção em alguns detalhes, como:

- Exija que todos os defeitos que a roupa possa conter sejam documentados por escrito;

- Mesmo sendo peças já usadas, o consumidor tem 90 dias para reclamar de defeitos na roupa, desde que ele não tenha sido informado dos mesmos anteriormente, ou de outros vícios que não eram aparentes no momento da compra;

- Também é importante ficar atento à política de troca destes estabelecimentos, lembrando que a troca de produtos por motivo de cor, tamanho ou gosto não é obrigatória. 

Como muitos destes estabelecimentos não possuem estoques com o mesmo modelo de roupa, a troca pode ser feita por outro produto que agrade o consumidor. 

A loja só é obrigada a efetuar a substituição em caso de defeitos na mercadoria. 


Ficou com dúvida?

Envie sua pergunta pelo Facebook ou Twitter.  Se quiser registrar queixa, acesse o site do Procon-SP