sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Dica de leitura: Inmetro lança cartilha sobre etiqueta têxtil

Fonte: Inmetro

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) acaba de lançar uma cartilha para orientar os consumidores sobre a importância de verificar as informações contidas na etiqueta têxtil, que vem afixada em todas as peças de vestuário, de cama e banho. De forma didática e de fácil entendimento, o guia demonstra que o consumidor deve estar atento ao comprar os produtos têxteis, especialmente no que diz respeito à origem e à composição (visando prevenir reações alérgicas causadas por determinadas fibras ou filamentos); aos cuidados com a sua conservação, e principalmente, a um alerta importante quanto à segurança infantil. Cordões, botões, zíper e até pedrinhas, lantejoulas e outros enfeites, apesar de tornar o produto esteticamente mais atraente, podem representar um perigo às crianças, principalmente às menores de três anos.


Por lei, as informações contidas na etiqueta de roupas, travesseiros, colchões, almofadas e toalhas de mesa são obrigatórias e devem estar sempre à vista do consumidor. O entendimento, porém, nem sempre é dos mais fáceis, principalmente por conta dos símbolos e o material pode ajudá-lo a entender melhor as informações contidas nas etiquetas.

Todas as etiquetas devem apresentar o nome ou razão social ou marca registrada do fabricante, a identificação fiscal do fabricante nacional ou do importador (CNPJ), país de origem, nome das fibras ou filamentos têxteis e seu conteúdo expresso em porcentagem, uma indicação de tamanho e, pelo menos, os cinco principais tratamentos de conservação do produto têxtil, por meio de símbolos e/ou texto.

Para acessar a cartilha, clique aqui.

12 comentários:

  1. Boa tarde!
    Estava com o aparelho celular há três meses onde o mesmo deu problema, fui na loja que comprei o mesmo pediu que procura-se a assistência técnica,assim fiz depois de 10 dias a assistência me manda o aparelho de volta apenas me informando que perda de garantia e agora o que faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Elaine.

      Caso resida no estado de São Paulo, envie o problema para http://migre.me/kGcYG

      O setor de atendimento irá analisar o caso para tentar solução junto ao fornecedor.

      Excluir
  2. Boa tarde comprei um celular e com 10 meses de uso ele apresentou defeito levei para a assistência e depois de dois dias fui buscar o aparelho e quando fui usar o mesmo ele voltou a apresentar o mesmo defeito, como devo proceder para pedir a troca do mesmo ou a devolução do dinheiro junto ao fabricante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!

      Entre em contato com o SAC do fabricante, informado no manual de instruções, havendo negativa, procure o Procon ou Juizado Especial Cível mais próximo com toda a documentação referente ao caso.

      Excluir
  3. Comprei um celular e o mesmo veio com um defeito, assim levei o aparelho a loja e levaram para realizar a manutencao; desta forma deram um prazo de 30 dias para ser realizada a entrega do produto após o mesmo ser colocado no correio; porém o celular n foi entregue no prazo determinado.
    O que devo fazer? Posso pedir um novo celular ou a entrega do meu dinheiro? Ou posso até mesmo processar a loja caso ela não queira realizar esses procedimentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde. Se o produto estiver dentro do prazo de garantia, o fornecedor tem prazo de 30 dias para conserto. Se não o fizer neste prazo o consumidor tem direito a troca do produto por outro da mesma espécie, em perfeitas condições de uso; a restituição da quantia paga atualizada ou ao abatimento proporcional do preço.
      Não havendo acordo junto ao fornecedor, procure o Procon de sua cidade ou verifique se no site www.consumidor.gov.br o fabricante está cadastrado e registre uma reclamação.

      Excluir
  4. comprei um celular sansung j3, no dia 02 de julho, sendo que no dia 5 ele apresentou defeito, levei até a loja que comprei e me disseram que não tinha garantia para quele problema, não quiseram trocar e aina estva dentro do prazo de troca da loja,. Fui ao procon e me orientaram a mandar o celular pra sansung que eles eram obrigado a consertar ou me dar outro; então enviei pra sansung. hoje me chega da assistência tecnica autorizada com o seguinte laudo: excluido da garantia, display trincado, possivel pressao ou queda, sendo que nada disso aconteceu, o que faço nesta situação nem paguei o produto e praticamente não chaguei a usa-lo. Aguardo respostas, obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!

      Se residir em São Paulo, encaminhe o caso ao site do Procon-SP (http://goo.gl/LSJbpE)para análise e tentativa de intermediação.

      Excluir
  5. Boa tarde...enviei uma TV Lg para a assistência técnica e a mesma me informou q a TV não tinha mais conserto. A fábrica me propôs um acordo onde eu pagaria 330,00 para receber uma TV nova ou o valor da nota de volta.
    Gostaria de saber o parecer legal sobre essa proposta. Entendo q o consumidor não tem culpa de comprar um produto q com dois anos de uso apresenta um problema q não tem solução. É legal essa cobranca??? O correto não seria me dar a TV nova sem custo ou devolver o valor pago? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!

      A empresa deve fornecer um outro produto da mesma marca e modelo do qual será substituído, ou devolver o valor pago, ou ainda, promover o abatimento do preço, em caso de substituição de por um bem de maior valor.

      Mas essas opções ficam a critério do consumidor.

      Excluir
  6. Olá Boa Noite Bom preciso de uma ajuda,comprei um celular,mais não quero pagar uma garantia além da que ele tem,mais a loja insiste em me obrigar a pagar! Queria saber se sou obrigada a pagar uma garantia a mais que não quero? O que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!

      O fornecedor não pode impor a contratação de garantia estendida. Caso resida no estado de São Paulo, envie o problema para http://migre.me/kGcYG

      Excluir

Não serão publicados:

Comentários ofensivos e comentários que contenham dados pessoais como telefone, e-mail, endereço e informações bancárias (número de conta corrente e cartão de crédito, por exemplo).